10 programas que você não pode deixar de fazer em Salvador

Salvador é uma capital incrível, de grande diversidade cultural e com uma riqueza histórica sem igual no mundo. Estamos falando da 1ª capital do Brasil, então não é difícil imaginar o porque desta cidade ser tão especial! Acrescente a toda esta riqueza uma beleza natural de impressionar, como retrata esta belíssima foto que abre o post, do fotógrafo Gabriel Pinheiro, retratando o bairro do Rio Vermelho.

Se você planeja cohecer a capital baiana, anote aí o que você não pode deixar de incluir no seu roteiro!

1- Andar a pé pelo Pelourinho

Sem sombras de dúvidas o Pelourinho rende muito mais do que um dia de passeio. São muitas as igrejas, museus, centros culturais e lojinhas espalhadas pelas históricas ladeiras de pedra. Claro que é válido entrar em tudo o que der, mas só andar pelas ruas do Pelourinho meio sem rumo, observando as pessoas e o casario, já é um programa incrível.

Sem dúvidas é um dos locais mais incríveis em que já estive.

Quando bater o cansaço sente-se na escadaria da Casa de Cultura Jorge Amado ou no Largo de São Francisco e apenas contemple. É uma experiência única!

Crédito: Márcio Filho- MTUR

2- Visitar a Casa de Jorge Amado

Uma das experiências mais emocionantes que vivi na Bahia foi conhecer a casa onde o casal de escritores Jorge Amado e Zélia Gattai viveram. Além de ser linda de viver, a casa tem uma energia sensacional.

3- Comer Acarajé no Rio Vermelho

Programa clássico em Salvador é comer Acarajé no bairro do Rio Vermelho – e tem que provar o da Cira e o da Dinha (dois dos mais famosos) pra decidir qual é o melhor. 😀

Além de provar os acarajés – e ser jurado nesta deliciosa disputa – ainda dá pra estender por lá e curtir a noite do Rio Vermelho. O bairro é bastante procurado pelos seus bares e restaurantes, então é uma ótima opção para um passeio noturno. Contamos em outro post nossa experiência provando os dois acarajés – e mais um tanto de comida gostosa.

4- Visitar os mercados locais

Eu não cogito deixar uma cidade sem visitar ao menos um de seus mercados regionais e Salvador tem uma riqueza cultural e gastronômica dignas de ser explorada. E é nos mercados locais que encontramos boa parte dos insumos e produtos típicos utilizados nos preparos que provamos durante a viagem.

Turisticamente falando o mais famoso é o Mercado Modelo e acho que indo à Salvador tem que passar por ele, mas não considero ser o melhor local para comprar.

O famoso Elevador Lacerda e o Mercado Modelo, ao fundo
Créditos: Márcio Filho- MTUR

O Mercado Modelo é mais um apanhado de barraquinhas que vendem lembrancinhas de Salvador para turistas. E em geral, mais caro do que nas lojas do Pelourinho, mas é tão famoso que merece a visita. Em minha humilde opinião é mais para ir, dar um “rolê” e fazer umas fotos.

A parte mais legal do Mercado Modelo é o segundo andar, onde tem dois restaurantes com mesas que dão vista para o mar, é bem bonito. Claro, eles tem um preço de “restaurante em ponto turístico com vista para o mar”, mas nada impeditivo. Se o orçamento estiver curto dá pra só bebericar algo e curtir a vista.

Mas para comer barato o legal mesmo é ir para os fundos do mercado. Lá o esquema é raiz: porções e cerveja de pé no balcão, a preços muito mais em conta do que os dos restaurantes. Esta porção de peixei frito na foto deu pra 3 pessoas e custou pouco mais de R$ 20,00.

Há mais de 10 anos estive em Salvador e na época podíamos visitar o sub-solo do Mercado Modelo : trata-se de uma espécie de porão com aberturas por onde a água do mar entrava quando a maré subia. Conta-se que muitos escravos ficaram presos ali e morreram afogados. Hoje este espaço não está mais aberto para visitantes.

Um mercado muito gostoso para visitar e que oferece uma experiência rica em sentidos e sabores é o Mercado do Rio Vermelho, dica preciosa do nosso anfitrião, Gabriel Pinheiro. Trata-se de um mercado regional que vende produtos frescos da Bahia e é frequentado muito mais pelos moradores do que pelos turistas.

A gente acha de um tudo por lá: grãos, frutas, verduras, legumes, artesanatos e até artigos para umbanda e candomblé. Vi um tanto de coisa que eu nunca tinha visto antes, frutos exóticos e peixes diferentes dos que conhecia. Ainda tem uma área super gostosa, com cafeterias que oferecem grãos da Bahia e de vários outros lugares. Amei!

5- Tomar um banho de mar

Estamos na terra de Iemanjá e eu acho um ultraje não dar um mergulho sequer no mar. Escolhemos a praia do Farol da Barra, especialmente pela localização, já que estávamos hospedados relativamente perto desta região. Dependendo da hora a maré baixa forma piscinas naturais deliciosas.

O cantinho que escolhemos para ficar é este à esquerda na foto, bem aos pés mesmo do Farol. Ali há pouca faixa de areia e temos que deixar nossas coisas em cima das pedras – contudo fica bem mais sossegado, com menos pessoas transitando, é uma delícia. As praias próximas ao Farol com maior trecho de areia (Praia Porto da Barra e Praia do Farol da Barra) também são lindas, convidativas para um banho e são lotadas de cadeiras e guarda-sóis, que podem ser alugados.

Existem muitas outras opções de praias em Salvador, escolha a sua AQUI!

6- Curtir o pôr do sol

O sol é bem generoso com Salvador e os fins de tarde costumam proporcionar espetáculos à parte. Nós tivemos a experiência de assistir em nosso primeiro dia na cidade a um pôr do sol do Morro do Cristo e com a ajuda do nosso anfitrião listamos neste post 10 lugares onde você pode ver um belo pôr do sol em Salvador.

Foto: Gabriel Pinheiro

7- Assistir a apresentação do Balé Folclórico da Bahia

Eu queria porque queria assistir a um ensaio do Olodum, mas quando soube do Balé Folclórico da Bahia mudei de ideia e troquei o programa. Lembrei-me de um amigo que assistiu e contou da experiência tão maravilhado que eu pensei: “não posso perder a chance”.

O Balé é a única companhia de dança folclórica profissional do país e existe desde 1988. São 38 integrantes que trabalham diariamente na companhia. Eles ocupam um casarão antigo no Pelourinho, onde se apresentam diariamente, de 2ª à Sábado, as 20 hs, no pequeno teatro de arena Miguel Santana. É só chegar a partir das 15 hs na bilheteria e comprar o ingresso no mesmo dia, que custa R$ 60,00 por pessoa.

Teatro onde a companhia de apresenta, no Pelourinho

O espetáculo dura em média 01 hora e é dividido em esquetes, onde os bailarinos representam os orixás, dançam, jogam capoeira, cantam.. todas as principais manifestações culturais da Bahia estão ali representadas, é lindo demais! Não é permitido fotografar ou filmar.

Detalhe do folder

8- Subir/ descer no Elevador Lacerda

Se estamos falando de clássicos é claro que o Elevador Lacerda não pode faltar. Trata-se do primeiro elevador urbano do mundo, inaugurado em 1873. Tem como função ligar a cidade Alta à cidade Baixa e é usado como meio de transporte pelos moradores de Salvador. O “ingresso” custa módicos R$ 0,15.

A subida/descida é toda fechada e a gente não vê nada, mas na parte alta há uma espécie de mirante – o saguão onde pegamos o elevador é todo com janelas de vidro e a vista para a Baía de Todos os Santos é belíssima.

Foto: Gabriel Pinheiro

9- Visitar as principais Igrejas Históricas

Se estamos falando da primeira capital do país é claro que não podemos deixar de ver as igrejas históricas. São tantas igrejas incríveis que escrevemos um post só indicando as que visitamos.

Basílica do Senhor do Bonfim

10 – Se deliciar com a variedade da gastronomia baiana

A culinária da Bahia é tão rica e variada que não tem como ter uma experiência completa em Salvador sem provar dos pratos típicos. Contamos em outro post sobre 10 pratos que você não pode deixar de experimentar quando for à Bahia.

A famosa e deliciosa moqueca

Tem algum outro programa que não mencionamos e você acha que deveria fazer parte desta lista? Deixei aqui nos comentários.

Salve no Pinterest e consulte sempre que quiser

Compartilhe:

Vanessa Barreto

Psicóloga por profissão, viajante por paixão. Acredito na força dos encontros, na potência das palavras e na beleza das pequenas coisas. Viajar é um modo de existir e de se reinventar e por quê não dizer terapêutico também?

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. Eu nunca fui a Salvador, apenas a Porto Seguro quando era adolescente , mas 9 das 10 sugestões já estavam na minha lista do que fazer a próxima vez que eu for a Salvador. Não conhecia este Elevador heheheh.
    Vai pra lista agora. 🙂

    • Vanessa Barreto disse:

      O Elevador Lacerda é um clássico e o legal e que ele não tem nada de turístico, embora pela imponência e localização acabe sendo. Ele é um meio de transporte utilizado pelos moradores mesmo, para se deslocarem da cidade baixa à cidade alta, então é uma experiência muito genuína de se ter na cidade.

  2. Hebe disse:

    Adorei seu post. Estamos nos programando ir no final desse ano. E vc nos ajudou com suas dicas. Vale!

  3. Maiara Barbosa disse:

    Adorei a listinha! Andar pelo Pelourinho é um sonho… encontrar todos esses produtos, imagens… mercadões são sempre um programa imperdível pra quem quer conhecer a cultura local!

  4. Carol disse:

    Olha, como sou fã de vcs! Post completinho, gostoso de se ler! Gratidão por divulgarem assim o lugar que tanto amo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *