A visita guiada ao Mercado Central de BH

Sempre que visitamos uma nova cidade procuramos logo pelo mercado local: municipal, central, ou seja lá o nome que tiver! Quase sempre é nos mercados que encontraremos a alma da cidade!

Em Belo Horizonte não é diferente. O Mercado Central é de 1929 e foi criado por uma iniciativa do então prefeito da cidade Cristiano Machado, com o intuito de reunir num só local o abastecimento de toda a capital. Em 1964 o prefeito João Carone decidiu vendê-lo e os comerciantes uniram-se e decidiram comprar o mercado da prefeitura. Hoje eles são os donos do mercado, que é gerido por um conselho administrativo eleito pelos próprios comerciantes. (Fonte: Site Mercado Central)

DSC_0576-001

Queijos da Loja “Roça Capital”: lá é possível provar os queijos antes de escolher qual levar

Ao longo dos anos os produtos foram se tornando cada vez mais diversificados, acompanhando o crescimento da capital e surgimento de novas ofertas. Contudo o carro chefe sempre foi, e ainda são, os produtos regionais: queijos, cachaças, doces, artesanato mineiro, carnes, embutidos. Se é produzido em Minas, tem boa chance de ser encontrado no mercado.

É muito fácil se perder no Mercado Central: os corredores são circulares, e um círculo sobrepõe-se ao outro, sendo que em pontos específicos eles se ligam. Sair de um dos corredores circulares para acessar o outro é garantia quase certa de não mais conseguir voltar,rs. Mas isto não é problema algum: primeiro porque é uma delícia passear por lá, e eu mesma já encontrei várias coisas legais nestes momentos em que estava perdida. Segundo porque não há nada que a famosa paradinha para perguntar não resolva: os comerciantes te ajudam a achar a saída mais próxima ou a localizar aquela loja que você procura.

Mapa do Mercado CentralNa entrada principal, Avenida Augusto de Lima 744, há um balcão de informações onde é possível retirar um mapinha, com o indicativo de todas as lojas. É de lá que partem também as visitas guiadas. Agendamos a nossa por email e foi muito simples: a resposta chegou rápido. De acordo com o site o agendamento também pode ser feito pelo telefone. Veja todas as informações para agendar sua visita ao final do post.

Realizei a visita acompanhada por uma amiga e o horário agendado para nós foi as 15 hs de uma quarta-feira. Neste dia éramos só nos duas, imagino que em dias de semana seja bastante pequena a procura pelo serviço. Fomos acompanhadas pelos guias Carol e Alexandre.

Os doces também têm destaque no Mercado, com grande visibilidade para o doce de leite e a goiabada

Doce de Leite Viçosa, eleito em concurso um dos melhores do Brasil

A visita percorre todos os setores do mercado, passando pelos artesanatos, restaurantes, e queijarias, onde há uma parada para degustação. Enquanto nos conduziu pelos corredores Carol ia contando a história do mercado. Este ano o Mercado ganhou um concurso da TV Globo Minas que o elegeu enquanto o símbolo da capital, numa disputa em que os concorrentes eram nada mais nada menos do que o Mineirão, a igrejinha da Pampulha e vários outros pontos importantes da capital, então os lojistas eram puro orgulho. Muito justo!

São muitas as opções para presentear ou levar aquela lembrança da capital e do Estado: além dos queijos, doces e cachaças, encontramos também camisas, bonés, bottons, etc

O famoso bule esmaltado, acompanhado das canecas, são facilmente encontrados por lá

Como nem tudo são flores há no mercado uma parte não muito legal: a área de venda de animais. São filhotes de cães, gatos, coelhos e aves presos em gaiolas minúsculas, num ambiente abafado e bastante barulhento. Vários grupos de protetores e pessoas ligadas à causa animal tentaram acabar com esta venda, manifestando nas ruas e pressionando a prefeitura, mas até o momento a situação permanece a mesma. É um setor do mercado que eu não vou, por questões pessoais. Como Carol sabia que éramos de BH, perguntou se gostaríamos de passar por lá ou não e eu preferi pular esta parte.

São muitas as opções de artesanato mineiro: aqui vemos peças da região do Vale do Jequitinhonha

Um clássico no Mercado é a venda de frutas frescas em pedaço, excelentes opções para aplacar o calor: sim, BH quase sempre é bem quente

Fomos ao segundo andar, onde há o estacionamento, a capela de Nossa Senhora de Fátima (tem missa todo domingo as 07 hs) e o projeto Cozinha Escola. Trata-se de uma parceria do Mercado com a faculdade privada UNA, em que são oferecidos cursos de culinária aberto ao público, gratuito, como modo de divulgar e manter a tradição da cozinha mineira. Os cursos são sempre divulgados no site do Mercado.

Corredor que leva à cozinha escola: no teto, panelas, frigideiras e chapas compõem o cenário, que foi criado como homenagem à cozinha mineira

Descendo novamente percorremos mais alguns corredores e encerramos a visita na Cachaçaria Dama da Noite. Thiago, o neto do fundador,  nos recebeu e lá pudemos provar os vários tipos de cachaça produzido por eles. Escolhi a minha preferida e trouxe uma garrafa comigo. Os preços são excelentes e o produto tem ótima qualidade, vale muito a pena. Encerramos ali a visita, que durou aproximadamente 40 minutos. (Os guias te deixam à vontade para fazer compras e fotografar durante o passeio, então este tempo pode variar de acordo com o grupo).

IMG-20180106-WA0041

Uma das várias lojas de cachaça do Mercado: Foto @gironomapa

Parte dos produtos oferecidos pela Cachaçaria Dama da Noite: o produto é artesanal e na loja é possível degustar antes de escolher. São várias as opções de tamanho

Se tem um lugar nesta cidade que todo belorizontino se orgulha este lugar com certeza é o Mercado Central. São tantos aromas, texturas e sabores que a gente fica até meio zonzo! É um lugar para comprar, passear, visitar e acima de tudo, sentir! Várias regiões de Minas Gerais estão ali representadas. Difícil explicar, só indo mesmo.

Você já conhece o Mercado? O que mais gosta de lá? Já fez a visita guiada? Conta pra gente.

Mercado Central de BH:

Avenida Augusto de Lima 744, Centro.

Segunda a sábado, das 7h às 18h.
Domingos e feriados, das 7h às 13h.

Visita guiada gratuita agendada pelo email : informacoes@mercadocentral.com.br ou telefone 31 3277.4691. Informar nome dos participantes e cidade de origem. Duração: aproximadamente 40-50 minutos.

Dica importante: Se possível visite o Mercado em dias de semana, fora do horário de “rush”. Aos finais de semana fica muito cheio! Se a única possibilidade para a visita for sábado ou domingo a dica é CHEGUE CEDO.

Salve no Pinterest e consulte sempre que quiser

Compartilhe:

Vanessa Barreto

Psicóloga por profissão, viajante por paixão. Acredito na força dos encontros, na potência das palavras e na beleza das pequenas coisas. Viajar é um modo de existir e de se reinventar e por quê não dizer terapêutico também?

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Fernanda disse:

    Post maravilhosooooo!!! Se eu já tinha a certeza de que um ponto certo a conhecer em BH seria o Mercado Central, depois desse post eu fiquei ainda mais ansiosa e convicta de que Mercado? Aí vou euuuuuuu!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *