As 10 principais fontes de pesquisa que utilizamos para elaborar nossos roteiros de viagens

Nossos roteiros são sempre criados com base em nossas pesquisas, desejos e também um pouco de “feeling”. Neste post compartilhamos as principais ferramentas online que utilizamos para a construção dos nossos roteiros:

1) Google

google-logoImpossível pensar em qualquer tipo de pesquisa sem passar por ele! Seja um destino, passagens, hotéis, passeios, tudo pode ser encontrado com uma simples busca no Google.

Contudo, nem todo site apresentado na busca é realmente útil. Quase sempre quando buscamos um destino, um dos primeiros sites que aparecem é o da Prefeitura local, ou da Secretaria Municipal de Turismo. Em geral pouco ajudam, restringindo-se a apresentarem informações demográficas e pouco completas para quem planeja uma viagem e busca por detalhes. Por isso, deixamos a busca no Google para pesquisas mais específicas, como atrações turísticas, restaurantes e hotéis, por exemplo.

2) Guia 4 Rodas (Impresso)

sdhasodhao

O bom e velho guia é a nossa maior fonte de consulta. Em quase 100% das vezes não nos arrependemos de seguir suas recomendações, em especial para pontos de interesse e restaurantes. Temos a versão de 2015 e soubemos recentemente que esta é a última edição (tristeza profunda, viu?). Todo seu conteúdo  foi incorporado a portais digitais da editora abril, como o  https://viagemeturismo.abril.com.br/.

Em restaurantes, por exemplo, nunca fomos em algum indicado pelo guia que não fosse realmente muito bom. Eles elencam os estrelados (e quase sempre mais caros), mas também listam bares e estabelecimentos mais simples. Mesmo os não estrelados, se constam no guia, confiamos. Nunca nos arrependemos.

As indicações quanto a atrações e pontos turísticos também são muito boas.

Até hoje não utilizamos as indicações de hospedagens, a maioria das indicadas são mais caras do em geral conseguimos pesquisando direto na internet ou optando por alugar um imóvel pelo Airbnb, como fazemos quase sempre.

3) TripAdvisor

TripAdvisor-Icon

Ler opiniões de outros viajantes sobre pontos turísticos, atrações, lugares em geral, restaurantes e hospedagens ajuda bastante. Muitos comentam por exemplo do nível de dificuldade de uma trilha, das condições de determinada estrada, do atendimento em um estabelecimento comercial e até mesmo dos preços praticados. Antes de reservar um hotel ou escolher um restaurante para o jantar é muito válido ler as avaliações do local.

Porém  há de se considerar o elemento subjetivo quando falamos em avaliações. Uma vez vimos uma pousada com excelentes avaliações e uma única opinião horrível. Fomos conferir: era um estrangeiro, queixando-se de praticamente tudo. A proprietária respondeu, alegando que ele exigia que lhe fossem servidas quantidades absurdas de ovos no café da manhã, levou sem permissão outras pessoas para dormirem em seu quarto e fez muito barulho, desrespeitando as regras do lugar e a outros hóspedes. Ou seja, fica bem claro que foi um episódio pontual e  não um problema recorrente da hospedagem.

Em geral lemos as avaliações mais recentes (do último ano) e verificamos as categorizadas como “Horrível” e “Ruim”, só para ver se não há algo absurdo demais,  porém, como o exemplo citado, é bem recorrente nesta categoria encontramos avaliações relacionadas a experiências muito pessoais, que pouco dizem de fato da qualidade da hospedagem. No entanto quando a maioria das opiniões não são boas é bom ficar alerta. Atentar-se para este site ajuda a fugir das famosas “presepadas” de viagem.

4) Blogs de viagens

blog-viagens

Existem muitos blogs de viagem, com relatos dos mais variados tipos! Mochileiros, viagens em família, com crianças, de baixo orçamento, para o exterior ou dentro do Brasil, tem para todos os gostos.

Ao pesquisar uma determinada atração turística no Google não é incomum cairmos num post de um destes blogs, onde um viajante conta seu relato. Estas experiências são ótimas fontes de pesquisa para planejar uma viagem, especialmente as mais atualizadas.

Claro que temos os nossos blogs preferidos e que, independente de estar planejando uma viagem, seguimos e lemos, pelo gosto por viagens e identificação com a proposta dos autores. O Viaje na Viagem é bastante completo e já o utilizamos várias vezes como fonte de consulta em nossos roteiros. Tem ainda aqueles blogs maiores, de grandes projetos de viagens internacionais, que seguimos como inspiração, como o Viajo Logo Existo Memórias de Mochila e A Casa Nômade.

Por fim destacamos o blog Mineiros na Estrada dos nossos conterrâneos Gê e Guto. Este blog tem registros de viagens pelo Brasil e América do Sul com uma linguagem super gostosa, coisa de mineiro né? ( orgulho mineiro detected – ahahahhaa). Eles tem uma sessão de “Causos e Perrengues” e “Histórias e Reflexões” que traz um elemento mais pessoal e subjetivo ao blog, algo com o qual muito nos identificamos.

5) Booking

BOOKING

Existem outras ferramentas para pesquisa e reservas de hotéis, mas habitualmente utilizamos o Booking. O site tem um layout bonito e é simples de usar. Nunca tivemos qualquer problema com reservas realizadas com eles. É importante atentar para as condições da reserva: em alguns hotéis é possível cancelar sem custo até determinada data, em outros é cobrado 50% e tem também os que nada reembolsam caso haja desistência. Antes de fechar é importante ler  TUDO, inclusive sobre a localização (pesquisando no google maps), serviços oferecidos, acomodações, condições para cancelamento, etc. Importante também ler as avaliações dos hóspedes anteriores. Pesquisar por filtros ajuda muito na seleção das melhores opções. Em geral filtramos por avaliações e custo, assim conseguimos uma lista dos mais bem avaliados e com menor custo. 

6) Airbnb

airbnb

Na maioria das nossas viagens  alugamos espaços inteiros ou quartos em casa de anfitriões por esta plataforma. O custo de alugar um espaço quase sempre é bem mais vantajoso do que ficar em hotel ou pousada e ainda nos permite cozinhar e dependendo do local, lavar roupas, o que contribui ainda mais para reduzir os gastos. Além do fator preço, nós particularmente gostamos de ter um espaço só nosso e de ter uma vivência local mais genuína, coisa que num hotel é certamente mais difícil.

7) Sites de busca de passagens aéreas

 

Para pesquisa de passagens aéreas usamos o Decolar e o Skyscanner. Em ambos é possível cadastrar um alerta para receber automaticamente promoções para um destino  e datas específicas. Apesar de fazermos pesquisa pelo site, quando localizamos a passagem ideal vamos direto no site da empresa e compramos por lá, assim evitamos as taxas do site.

Importante: o site permite também verificar preços em datas próximas, então as vezes antecipando a ida em um dia ou atrasando a volta (e vice versa) conseguimos preços mais atrativos. É bom para quem tem alguma flexibilidade nas escolhas das datas. Certa vez conseguimos uma passagem de BH para Recife em pleno feriado de finados com um preço excelente porque adiantamos a ida para a quarta pré-feriado e adiamos a volta para a segunda pós-feriado. 

8) Sites de aluguel de carros

Para alugar carro já utilizamos o site do Expedia e Rentcars . O Kayak é um buscador que reúne vários outros sites, então é possível também pesquisar de uma só vez o preço em várias agências diferentes.

Importantíssimo ler TUDO na hora de fechar a reserva, inclusive aquelas letrinhas pequenininhas. Já caímos numa furada ao reservar um carro com preço mega atrativo e depois descobrimos que o seguro não estava incluso. Como achamos loucura pegar um carro que ficaria muito na estrada e em locais públicos diversos sem seguro, acabamos tendo que pagá-lo por fora e o barato acabou saindo bem caro!

9) Aplicativos e sites de previsão do tempo

Utilizamos em especial os aplicativos Accuweather e Climatempo. Imprescindível checar a previsão do tempo para a data planejada da viagem. Obviamente numa viagem definida muito previamente estes dados em nada servirão. Neste caso o ideal é sempre se atentar para a combinação destino escolhido x estação do ano.

Em nossas viagens utilizamos a previsão do tempo quando já estamos na estrada, considerando o período que estaremos em determinada cidade. Esta prática facilita a organização dos passeios: aqueles que dependem de sol vão para os dias com uma previsão de céu mais aberto; se há previsão de dia nublado ou chuvoso, reservamos para conhecer algum restaurante legal ou uma atividade indoor (museus, centros culturais, etc.), e por aí vai.

10)Páginas de Parques e Unidades de Conservação

NovoLogoICMBio_Mar10_horizontal

Como gostamos muito de atividades na natureza muitos dos nossos destinos incluem visitas a parques. No site ICMBio conseguimos acesso a todos os parques nacionais, mas uma simples busca no Google com o nome do parque pretendido também redireciona facilmente para a página.

Os sites são bons, em sua maioria. Através destas fontes conseguimos informações sobre as atrações, visitação e acesso. Nem todos estão aberto a visitação e em alguns é necessário agendamento prévio, portanto se a ideia é visitar um dos parques é importante verificar todos os detalhes na página antes e se informar com antecedência.

Você utiliza alguma outra ferramenta/site que não citamos? Compartilhe conosco!

Compartilhe:

oqueijovainamala

Um casal mineiro que ama viajar e conhecer novos lugares, mas acima de tudo busca experiências e novas histórias para ouvir e contar.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *