Cachoeira do Bracuí e Rio Mimoso: simplesmente espetacular!

Localizada em Bananal -SP, a Cachoeira do Bracuí é acessada por trilha que parte de dentro das terras da Pousada do Rio Mimoso. É preciso subir toda a estrada Sertão da Bocaina (SP-247) até o Km 36: a estrada termina na própria porteira da pousada. (Uma estrada extremamente sinuosa, muita subida). O trecho final é de terra e muito irregular, difícil para carros baixos, faltando pouco menos de 02 kms optamos por deixar nosso carro e seguir a pé. 

20170926_103626.jpg

Trecho final, antes de chegar à Pousada, que seguimos a pé

Estávamos num dia de semana de baixa temporada, então não havia ninguém por lá. Chegamos na porteira da pousada e ela estava fechada. Um cartaz informava sobre as regras de visitação, taxas e horários. Eu meio que achei que teríamos que ir embora, mas Leo teve a ideia clássica do interior: bater palmas. O barulho atraiu a atenção de um dos funcionários, que veio nos receber.

Rafael se apresentou como sobrinho da dona da pousada e nos explicou que durante a semana são poucos os visitantes. Como a pousada estava vazia, ele deixa a porteira fechada por questão de segurança. Mesmo num local tão isolado eventualmente ladrões de palmito tentam invadir a propriedade, para cortar as árvores. Ele comentou conosco também que muitos turistas, quando encontram a porteira fechada, pulam o portão, colocando-se em risco: ao longe fica difícil saber quem é quem.

Pagamos a taxa de visitação de R$15,00 por pessoa. Rafael foi muito gentil conosco e nos contou um pouco de sua vida por ali. Os donos da pousada vivem em uma cidade maior (não nos recordamos ao certo, mas achamos que é Volta Redonda-RJ)  e em geral vão até lá apenas nos finais de semana, quando os hóspedes aparecem. Como a pousada é completamente isolada de tudo, há um restaurante onde são oferecidas as refeições, contudo a cozinheira é levada pelos donos para a pousada toda sexta-feira e aos domingos todos vão embora. Apenas Rafael e outro funcionário ficam lá para cuidar da pousada.

Antes de pegarmos a trilha para a Cachoeira do Bracuí ele nos mostrou um dos chalés e a área do restaurante. Ficamos um bom tempo conversando com ele, estes encontros com gente boa de prosa sem dúvida são a melhor parte da viagem! Nos disse um pouco de sua rotina por ali e claro, das saudades que sentia da namorada e filha, que via apenas de tempos em tempos. É, viver no paraíso tem seu preço também!

São duas trilhas: uma leva até a Cachoeira do Bracuí e outra  leva até a queda do Rio Mimoso. Há quem chame a segunda de Cachoeira do Rio Mimoso, há quem chame apenas de Rio Mimoso, há quem considere as duas como Bracuí. Para diferenciar acabamos chamando-a de Cachoeira do Rio Mimoso, mas não fazemos ideia se é isto mesmo.

Contaremos primeiro sobre a Cachoeira do Bracuí.

20170926_121303.jpg

A trilha é de nível médio: são 06 kms (ida e volta). Ela é toda fechada em terreno de terra e lama, mas sem grandes obstáculos. Na ida a gente desce, desce, desce e claro, na volta é uma boa subida. A maior exigência é o esforço físico mesmo.

DSC0343320170926_122447

A cachoeira é simplesmente ESPETACULAR! A água corre forte e forma um poço logo na beirada do penhasco. Como a correnteza é forte e estávamos só nós dois lá, preferimos não arriscar e apenas contemplamos. Lá do alto a gente consegue ver a baía de Angra dos Reis. Pensem nisso, uma cachoeira incrível de onde é possível avistar o mar! 😀 .

20170926_12092220170926_121336

DSC03427

Baía de Angra dos Reis, avistada da Cachoeira do Bracuí

Para agraciar ainda mais um belo arco-íris se formou em meio ao vapor d’água formado pela  própria cachoeira. Beleza difícil de descrever!

20170926_120826DSC03423DSC03426

Depois de voltar pela trilha, seguimos para a segunda, a que dá acesso ao que chamamos de Cachoeira do Rio Mimoso. A verdade é que lá a gente não vê exatamente uma cachoeira: trata-se do término do rio, que finda num poço e despenca de um paredão (ou seja, a cachoeira tá ali, mas a gente chega ao poço no alto dela e só a vê deste ângulo). Ali não há correnteza e é possível banhar-se e fazer lindas fotos. (Para quem conhece Janela do Céu, em Ibitipoca, é algo parecido). É possível também avistar o mar de lá.

DSC03454DSC03457

DSC03488

O poço não é fundo, para conseguir submergir próximo à beirada é preciso sentar-se ou deitar-se, é ótimo para fotografar e bastante seguro

A trilha é mais curta (02 kms) e bem sossegada, tornando-se mais íngreme na parte da chegada. Nada impossível!

20170926_150451DSC03463

DSC03475

Estava deitada de bruços neste momento

Além das trilhas para as cachoeiras, há uma trilha que leva a um mirante de onde se avista a Pedra do Frade, mas nós por falta de tempo e também pelo cansaço não fizemos.

De volta à sede da Pousada nos despedimos de Rafael e seguimos de volta pela estrada de terra até o local em que estacionamos nosso carro.

Saímos de lá extasiados com tanta beleza e reafirmamos: NÃO DEIXE de conhecer as cachoeiras do Bracuí e do Rio Mimoso se forem à Bananal.

20170926_12153520170926_121641

DSC03443DSC03468

Importante:

.As Cachoeiras estão em propriedade privada e é preciso passar pela porteira da Pousada do Rio Mimoso para acessá-la. Caso a porteira esteja fechada BATA PALMAS, GRITE, mas não pule. Além de ser crime invadir propriedade privada, esta atitude pode assustar os funcionários e a recepção pode não ser amigável.

.É cobrada taxa de visitação de R$ 15,00 por pessoa, pagar EM DINHEIRO.

.As duas trilhas são relativamente fáceis, em mata fechada, com terreno de muita lama, mas sem grande dificuldades técnicas. Bota de trilha, roupas mais fechadas, bastão e repelente são essenciais.

.Em dias de semana a pousada fica praticamente fechada, então é preciso levar água e comida. 

.Dá pra chegar com carro 4×4 até a pousada, mas nós achamos complicado para nosso carro simples. Por recomendação do dono da pousada em que estávamos hospedados,  preferimos deixar o carro a 02 kms da pousada, numa área recuada da estrada em que é mais tranquilo estacionar e concluir o trajeto a pé. As trilhas dentro da pousada são em mata fechada, mas este trecho final de estrada é todo debaixo de sol, então chapéu, blusa de manga comprida e protetor solar ajudam muito. 

. Optamos por ir primeiro à Cachoeira do Bracuí e depois à do Rio Mimoso e esta nos pareceu uma escolha muito acertada: a segunda trilha é menos cansativa e permite um banho mais tranquilo (um rio mesmo, quase sem correnteza). Foi melhor ter deixado a parte mais “hard” para o início, quando estávamos mais descansados.

.Consideramos a visita à cachoeira IMPERDÍVEL. Não é sempre que encontramos uma cachoeira de onde conseguimos avistar o mar, vale MUITO a pena!

 

Compartilhe:

oqueijovainamala

Um casal mineiro que ama viajar e conhecer novos lugares, mas acima de tudo busca experiências e novas histórias para ouvir e contar.

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. DINÁ disse:

    Adorei! Ja quero conhcer. A trilha é bem batida?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *