Cachoeira Macaquinhos, na Chapada dos Veadeiros

O complexo de cachoeira Macaquinhos não é um dos atrativos mais famosos da Chapada mas não deixa de surpreender em beleza e imponência. Trata-se de um conjunto de 10 cachoeiras formadas pelas quedas do Rio Macaquinhos.

Para acessá-la é preciso seguir sentido Brasília, partindo de Alto Paraíso de Goiás e pegar uma estrada antes da entrada para a Catarata dos Couros. Esta estrada é sinalizada e a partir dela vemos várias placas indicando o complexo. A partir dela são 31 kms de terra, por uma estrada boa. Seguimos também pelo GPS e deu tudo certo.

No trajeto

Para chegar ao complexo, que é também um Camping, temos que passar umas cinco tronqueiras, daquelas feitas de paus e arame farpado. Esta parte é chatinha, porque toda hora a gente tem que sair do carro, abrir o “trem”, passar com o carro e voltar para fechar.

Na parada de uma das tronqueiras, no caminho

Quando estamos quase chegando ao local vemos uma placa indicando “Macaquinhos 900 metros” e uma indicação de que a partir dali não devem seguir veículos que não sejam 4×4. Deixamos Catarina ali e descemos por uma trilha demarcada, logo ao lado desta área de estacionamento. De fato o trecho final é bem difícil para carro baixo, não vale a pena o sufoco. Melhor deixar o carro lá e seguir a pé.

Local onde deixamos o carro e seguimos a pé

Na entrada do camping somos recebidos por Fausto , o proprietário. A entrada custa R$ 30,00 por pessoa o e camping, R$ 60,00. Recebemos uma pulseirinha para identificação. A área de camping é enorme e o lugar um sossego, muito isolado, deve ser bem gostoso acampar uns dias por lá. Mais informações em: http://www.macaquinhos.com/

A trilha é curta e não muito difícil: o que cansa é que a trilha vai meio que pelo alto e a cada cachoeira temos que descer um tanto e depois subir de novo para retornar à trilha. Fora isso é bem tranquilo. Quem quiser só curtir um banho sem muito esforço pode ficar numa das primeiras que já será um passeio e tanto.

1. Banho dos Macacos: várias quedas formam uma boa hidromassagem natural. Como visitamos no período seco não estava com tanta água. Paramos nele na volta e o ideal é seguir para o final, onde estão as melhores e mais belas cachoeiras e ir voltando parando nas demais.

2.Poço Sereno: Um dos nossos preferidos e bem indicado para quem tenha maior dificuldade de locomoção, mas quer curtir um bom banho. O acesso é bem fácil e tem até uma escadinha de madeira para ajudar. O poço é delicioso.


Visão do alto do Poço Sereno, quando estamos já na região do Banho dos Macacos

3. Luna: São duas pequenas quedas que desaguam num ótimo poço para banho. É uma das que costumam ficar mais tranquilas, já que a maioria dos visitantes vão para as últimas.

4. Pedra Furada: Provavelmente é uma continuação da Luna, uma das cachoeiras que caem em meio às pedras e crateras que lembram o terreno lunar.

5.Poção do Jararacuçu: poço ótimo para banho, mas não descemos até ele, só o vimos do alto.

6.Banho Pelado: a única cachoeira de nudismo do complexo. Justamente para manter a privacidade dos banhistas não é possível ver seu poço do alto da trilha e o acesso é bem íngreme. Não chegamos até ela.

7. Poço do Jump: Não descemos, mas o vimos do alto da pedra, justamente onde os banhistas pulam direto para o poço.

8.Cachoeira da Luz: Junto com as duas próximas são as cachoeiras mais bonitas do Vale do Rio Macaquinho. É formada por duas quedas pequenas, cada uma forma um poço para banho.

9.Cachoeira da Caverna: Olhando- a de frente nao entendemos o nome, mas é só entrar no poço (delicioso) e ir nadando rumo à queda que à direita logo surge a enorme boca da caverna.

10.Cachoeira do Encontro: Final da trilha, onde o encontro do Rio Macaquinho e Rio fundão formam uma enorme queda.

Valeu demais a pena ter conhecido o local! Na volta, a gente já cansado das andanças do dia (porque pode não parecer, mas é tanto sobe e desce para acessar as cachoeiras que fica bem pesado), ainda tem que subir quase 1km acima até o local onde deixamos o carro, mas nada que um cadim de esforço (e resiliência) não resolvam.kkkkk

PS: Na saída Fausto nos recomendou parar no cruzeiro, na estrada. Trata-se de uma cruz de madeira colocada pelo próprio. Ele disse que de la teríamos uma vista muito bonita. A vista nem foi tudo aquilo que imaginávamos, mas o pôr do sol que vimos de lá foi muito bonito!

Prepare-se:

Calçado fechado ajuda no sobe e desce nas pedras

Protetor solar é essencial. Levar comida também, na entrada é possível comprar água, mas não há venda de qualquer item alimentício é o local é longe de tudo!

Melhor ir direto para a última cachoeira e depois ir voltando. As mais bonitas são as três últimas: Luz, Caverna e Encontro.

Para informações: http://www.macaquinhos.com/

Compartilhe:

oqueijovainamala

Um casal mineiro que ama viajar e conhecer novos lugares, mas acima de tudo busca experiências e novas histórias para ouvir e contar.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *