Caverna São Bernardo, em Terra Ronca

Conhecemos a caverna São Bernardo em nossa curta estadia de duas noites no Parque Estadual de Terra Ronca.

São Bernardo é uma caverna incrível! Sua entrada é por uma boca larga, mas extremamente íngreme: precisamos inclusive nos apoiar em cordas em alguns momentos para não sair rolando pirambeira abaixo. Não há qualquer indicação de caminho por onde devemos descer, só um guia que conheça o local é capaz de orientar na descida de modo seguro.

Uma coisa que eu aprendi na vida é que diante de uma possível queda é melhor já ir logo pro chão: em alguns trechos preferi descer assim
Nosso guia, Rivaldo: para entrar na caverna a gente tem que atravessar aquele rio que passa lá embaixo. É descida viu?
A visão que temos da entrada, quando já estamos lá embaixo: é a sensação literal de estar no fundo da terra

Depois da descida somos presentados com esta cena linda: o Rio São Bernardo corre com força separando a entrada da caverna de seu interior e para prosseguir, temos que passar por ele. É raso, mas com alguma correnteza.

Eu fiquei meio besta com este cenário

São muitos e muitos salões e para nós, leigos, é difícil se recordar do nome de todos, mas separamos para registrar aqui algumas fotos que mostram as belezas dos grandes salões de São Bernardo.

Não tem muito jeito das fotos ficarem boas com tão pouca luz, mas dá pra ter uma noção do tamanho destas estalagmites né?
Escuridão total, a gente anda, anda, anda e passa por muitos salões. Esta é São Bernardo

Além dos grandes salões, São Bernardo impressiona pelas delicadezas também:

Eu fiquei muito chocada com esta plantinha que resolveu nascer no meio de uma caverna úmida e completamente escura. São experiências assim que mostram o quanto a natureza é forte: em qualquer ambiente há aquele que vá se adequar
Peixinho cego e albino nadando no rio. Esta foto fizemos já bem dentro da caverna, ele vive numa área completamente sem luz. Trata-se de uma espécie que até então não era conhecida e olha que legal, a espécie foi batizada com o nome do Ramiro, um dos moradores mais antigos de Terra Ronca, veja a história AQUI

Sim, as pequenices da caverna impressionam, mas em São Bernardo tudo é muito, muito grandioso! Vejam estes salões:

Bem, mas porque escolhemos visitar São Bernardo? Leonardo já havia visto fotos dela na internet e sem sombra de dúvidas a que mais o deixou impressionado foi esta aqui:

Foto: José Humberto de Paula. Retirada do site Curta Mais

Fazer uma foto assim num ambiente COMPLETAMENTE ESCURO deve ter dado uma trabalheira louca. Olha a mesma foto que nós fizemos, só com a luz das lanternas de mão e dos nossos capacetes:

Um dos momentos mais aguardados é o Salão do Encontro, quando o Rio São Bernardo e o Rio Palmeiras se encontram.

O nível de exigência física para visitar São Bernardo é de moderado (para quem está acostumado com atividades físicas) a alto (para sedentários ou pessoas com dificuldades de locomoção). Além de um sobe e desce incessante temos ainda que cruzar rios diversas vezes.

Nós saímos de lá extasiados, acredito que ficamos umas 5 horas dentro da caverna sem nem perceber. Inclusive quando estamos dentro da caverna esta questão do tempo muda completamente – é como se estivéssemos numa espécie de universo parelelo, o tempo é outro.

Uma mini cachoeira dentro da caverna

Nesta caverna vivemos uma experiência incrível: num dado momento, num dos salões, nos sentamos e Rivaldo pediu que desligássemos as lanternas. Ficamos por alguns minutos em absoluto silêncio e escuro. Eu achei que iria sentir algum mal estar mas foi justamente o contrário: poucas vezes na vida senti paz tão grande – era como se a caverna me acolhesse e me abracasse. Eu sentia que estava dentro da terra e que, de algum modo, era bem vinda e amada por ela. Senti uma paz absurda e pensei que gostaria muito de poder me refugiar ali, vez ou outra.

Formação que lembra um pouco as “cortinas” que vimos em Angélica
No Salão do Encontro estes mosquitinhos voavam por todos os lados, era até meio chato ficar lá, eram tanto que eles batiam na gente. A solução era ligar a lanterna e direcioná-la para o lado oposto ao que estávamos indo. Mirando pro alto dava este efeito bem bonito

Visitar São Bernardo foi uma experiência incrível. Se você ainda não conhece as cavernas do Parque Estadual de Terra Ronca não pense duas vezes: apenas vá.

Muito agradecida por ter vivido esta experiência

Para conhecer Terra Ronca, recomendamos o guia Rivaldo, que nos proporcionou um passeio seguro, divertido e incrível! Para contactá-lo:

Facebook

Celular: (62) 9 9669 9770.

Compartilhe:

Vanessa Barreto

Psicóloga por profissão, viajante por paixão. Acredito na força dos encontros, na potência das palavras e na beleza das pequenas coisas. Viajar é um modo de existir e de se reinventar e por quê não dizer terapêutico também?

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. José Humberto M. de Paula disse:

    Olá Vanessa,
    Tudo bem com você???
    Muito bonito o seu, o blog de vocês!!!… Parabéns.
    Que bom saber que uma foto minha impressionou vocês !!!… Uau !!!
    Obrigado.
    José Humberto. M. de Paula.

    • Vanessa Barreto disse:

      Eu não tenho como expressar a emoção que sentimos em ler seus comentários aqui no nosso blog. Estamos muito gratos por você ter dividido tanta coisa bacana com a gente e estamos ainda mais impressionados em descobrir que a foto que achamos que deu uma trabalheira louca na verdade foi feita em 10 minutos. Belíssimo trabalho!!!

      • José Humberto M. de Paula disse:

        Oi, Vanessa
        Mais uma vez obrigado. Sou grado – e isso não é apenas protocolar – pelos comentários e generosidade ao elogiar o que eu faço. Que aliás, é um hobby.
        Obrigado.
        José Humberto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *