Sobre nós

“Por quê um blog sobre viagens, se já existem tantos outros?”

Viajar é um vício. Impressionante como que, depois que você toma gosto, não tem mais como voltar atrás. Uma amiga diz que isto é ser picado pelo “bichinho” wanderlust. Não sabemos… a única certeza que temos é a de que precisamos viajar. Precisamos nos mover, andar por aí, respirar outros ares, encontrar novas paisagens e ver novas “gentes”. Precisamos trocar, experimentar, ouvir, falar, fazer laços.

Wanderlust – palavra alemã que significa um intrínseco e profundo desejo de viajar.

Mais do que pontos turísticos e passeios pré-programados, gostamos é de vivências. Os encontros pelo caminho, com a natureza e com as pessoas que conhecemos são parte fundamental do que trazemos em nossa bagagem.

Somos ‘psis’, como a descrição já explica e é bastante natural que nos encantemos com tudo o que diz respeito às relações humanas. Viajar nos entrega muito neste sentido. Quando chegamos a um pouso novo, quando fazemos uma nova amizade ou simplesmente quando proseamos com um desconhecido num dado momento surge a inevitável pergunta: “o que vocês fazem?”. Em geral no início surge alguma brincadeira como: “nossa, que casal, serviço completo!” ou ainda “ixi eu sou um pouco doido!” e por aí vai.

Mas o mais curioso é que, habitualmente, a revelação da nossa profissão parece despertar no outro um desejo de se abrir, de falar de si e muitas conexões surgem a partir daí. E é se conectando com o outro que conseguimos ter as maiores experiências das nossas viagens, quiçá da vida!

Evitamos os grandes grupos e as conexões que se estabelecem via relações meramente comerciais. Quase sempre viajamos por conta própria. Utilizamos basicamente nossas pesquisas na internet, o Guia 4 rodas (excelente!) e o nosso “feeling” para montar nossos roteiros. Preferimos o encontro do “um a um” , o perguntar, procurar, tentar, do que chegar e já achar tudo pronto. Cada doido com a sua mania né?

Já foram tantas as andanças que sentimos necessidade de registrá-las para nossa própria consulta e memória. Inicialmente pensamos no blog enquanto um espaço só nosso, onde poderíamos escrever uma espécie de “diário de bordo” e foi bem divertido pensar que daqui a cinco, dez, vinte anos (quem sabe?) poderíamos voltar e ler tudo, lá do início. Ou quando algum amigo pedisse uma indicação ou informação de nossas viagens poderíamos ir lá no relato e lembrar daquele detalhe que a memória já teima em apagar.

Daí veio o pensamento: por quê não dividir estes relatos com os amigos e com todos os viajantes? Praticamente todos os nossos roteiros são construídos com consultas a sites e blogs de outros viajantes, além de sites de dicas de viagens e de avaliações. Já lemos diversos relatos que foram muito úteis para nós e seria muito bom poder também ajudar outras pessoas que estão “construindo” suas viagens.

E assim nasceu “O queijo vai na mala”. O título, escolhido por nós num “brainstorm” logo após retornar de uma viagem diz tudo: não importa para onde vamos, levamos a nossa essência conosco. Nossa mineiridade (sim, nos orgulhamos muito disto!), nosso jeito de “interior”, mesmo morando numa das maiores capitais do país, e nossa sede de viver novas experiências nos trouxeram até aqui. E nos sentimos felizes em poder compartilhá-las!

PS: Não é mentira que levamos queijo na mala em praticamente todas as viagens. E o medo de chegar lá longe e não ter?


Contate-nos:

Compartilhe: