Dia 01 pela Grande São Paulo: conhecendo Osasco

Neste post contamos sobre o roteiro que fizemos com Alan, do Giro no Mapa para conhecer cidades da Grande São Paulo.

Na programação que Alan desenhou para nós, o primeiro dia foi reservado para Osasco, sua cidade natal. Mas antes demos uma passadinha na vizinha Carapicuíba pra gente ver a famosa Cohab do cantor netinho, sabem? Daquela música: “tô chegando na Cohab pra curtir minha galera, dar um abraço nos amigos e um beijinho na minha cinderela”. (Sinto muito, esta música ficou grudada na minha cabeça feito chiclete, vocês também vão ter que lidar com isto).

20180608_134421

20180608_135035

Vai ficar legal, pagode na Cohab no maior astral. Em frente à lanchonete, sambando e fazendo um grande carnaval

 

Depois da voltinha em Carapicuíba seguimos para o Museu de Osasco.

DSC_0313

DSC_0316

O Museu, de 1976, funciona num casarão do Séc. XIX e foi casa de um importante imigrante italiano e empreendedor da cidade de Osasco, Antonio Agú.

DSC_0308 - Copia.JPG
DSC_0309 - CopiaDSC_0310 - CopiaDSC_0311

DSC_0312

Os objetos são em sua maioria doados por moradores da cidade de Osasco e de algum modo, relacionam-se com a história da cidade.

 

O Museu é pequeno, são poucas salas e nem todas tem acervo. Soubemos também em pesquisas e também por familiares de Alan que nem sempre ele está aberto, mas nós demos sorte e conseguimos visitá-lo.

A casa é linda e eu particularmente acho legal demais a ideia de um museu da cidade – acho que este tipo de iniciativa só fortalece a identidade cultural do lugar e ajuda a preservar um patrimônio histórico importante. Contudo a casa visivelmente carece de maiores cuidados e reforma, bem como o acervo.

A visitação é gratuita e conseguimos estacionar com facilidade na rua atrás do Museu.

De lá Alan nos levou para o famoso calçadão para degustarmos uma iguaria da cidade: o famoso Dogão de Osasco.

20180608_145329.jpg

Para os fortes

 

O Dogão de Osasco é uma entidade: no calçadão são várias barraquinhas que o vendem. Ele é ENORME e vem lotado de purê de batata e pasmem, até repolho! É um almoço mesmo.

(o purê eu comi, mas pedi sem o repolho. ah não gente, repolho no cachorro quente rolou não) kkkkkkkkkkkkkk

De lá seguimos para o Museu do Bradesco. Alan é funcionário do banco e ele mesmo nos guiou pelo espaço.

DSC_0319

DSC_0320

Vejam que bunitim nosso anfitrião devidamente identificado em seu dia de folga, levando a gente no Museu do Bradesco. Funcionário padrão. <3

DSC_0322

Um belo dia eu passei na frente da minha agência do Bradesco aqui em BH e ela tinha virado Droga Raia. Mandei mensagem na hora para o meu personal Bradesco pedindo socorro: “Alan, sumiram com minha agência”. Ele em minutos mandou o endereço atual, ela estava a uma quadra da antiga. Ufa

DSC_0325

Este “trambolho” amarelo foi um dia um caixa eletrônico!

DSC_0329

O museu conta a história da instituição e é muito rico em materiais bancários de época e informações históricas, além de possuir muitos espaços interativos

 

O Museu fica dentro da área da Matriz do Banco Bradesco, em Osasco, na Cidade de Deus. Para visitá-lo basta informar o destino na portaria. Funciona em horário comercial e é gratuito.

E que lindo final de dia pegamos em Osasco!

20180608_171931.jpg

Esta foto fiz do celular, quanto estávamos parados num posto de gasolina, perto da casa de Alan

Fim do dia de passeios em Osasco, a noite foi na casa do Alan, no aconchego da família Casare, incluindo sopinha da Dona Zuca. <3

20180608_190814.jpg

Sopinha da Dona Zuca: não sei quantos pratos tomei, mas ela não fica feliz se você comer pouco

 

Nós sabemos que Osasco não é uma cidade turística e é uma cidade bem nova, são apenas 56 anos de emancipação de São Paulo. Dada a proximidade, muitos moradores da cidade trabalham na capital e utilizam muito de sua estrutura também. Mas tem uma coisa que me encanta em qualquer cidade: as pessoas e as histórias que elas contam. Foi muito bonito se recebida por Alan e seus familiares em sua casa, ouvir deles suas histórias e de certo modo, da cidade também – afinal, a história de cada um se cruza com o local onde vivem e constroem seus laços e afetos.

Mais do que conhecer Osasco, esta viagem foi a celebração de uma amizade que começou por causa do blog e que queremos levar por toda a vida. E ficamos muito felizes em conhecer a cidade e a família do nosso amigo querido.

A propósito Alan tem um perfil, Giro no Mapa, onde se dedica especialmente à viagens curtas de final de semana – as famosas viagens de 48 horas, que cabem perfeitamente na agenda do trabalhador brasileiro. Como reside em Osasco, ele costuma explorar bastante destinos na Grande São Paulo, o que é legal tanto para moradores da cidade como para turistas que podem utilizar São Paulo como base aeroviária. Dêem uma olhada no instagram dele, é cheio de dicas: Giro no Mapa.

Leia os demais posts do Roteiro Grande São Paulo

Dia 02: Templo Zu Lai de Cotia e Roteiro do Vinho em São Roque
Dia 03: Mogi das Cruzes e Guararema

Compartilhe:

Vanessa Barreto

Psicóloga por profissão, viajante por paixão. Acredito na força dos encontros, na potência das palavras e na beleza das pequenas coisas. Viajar é um modo de existir e de se reinventar e por quê não dizer terapêutico também?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *