O que fazer em Pirenópolis, Goiás

Destino muito querido por moradores de Brasília e Goiânia para um final de descanso, Pirenópolis agrada em cheio a todo o tipo de público: a cidade é uma gracinha e muito bem estruturada. São hotéis, pousadas, bares, restaurantes e uma série de atrativos.

Pirenópolis é uma das primeiras cidades do interior do Estado de Goiás, hoje tombada como Patrimônio Histórico tamanha sua riqueza. Foi fundada em 1730 por bandeirantes e mineradores e se desenvolveu pela mineração de ouro, comércio e agricultura, em especial com a produção de algodão para exportação ainda no Séc. XIX. O nome da cidade faz referência à Serra dos Pirineus, que circunda a cidade.

Ponte sob o Rio das Almas, um dos cartões postais da cidade


Eu, Vanessa, sempre quis conhecer Pirenópolis – que também é conhecida carinhosamente por seus moradores e visitantes por “Piri”. Via fotos em blogs e perfis de amigos que já tinham passado por lá e achei uma lindeza as ruas históricas. Só que de Belo Horizonte para lá são mais de 800 kms e não compensaria fazer um bate e volta, considerando a distância. Foi aí que Pirenópolis entrou no Roteiro Cerradão Goiano ou Viagem ao Centro do Brasil.

Nós fizemos uma viagem econômica e aqui vamos dar as dicas do que fazer por lá – a grande maioria dos passeios foram baratos ou gratuitos.

Mas e aí, o que fazer em Piri?

Passear pelo Centro Histórico

O centro da cidade ostenta casarões do século XVIII, igrejas e museus e é nele que vemos a maior parte dos atrativos turísticos urbanos. O Rio das Almas corta a cidade, formando uma paisagem belíssima!

Na ponte só passa um carro por vez

Nosso passeio partiu da Ponte do Rio das Almas. Deixamos o carro do outro lado e a atravessamos a pé.

Rio das Almas: vimos banhistas por lá, na internet li algumas referências que diziam que ele é limpo, mas não tenho certeza

Eu gosto muito de sair batendo perna sem rumo por cidades pequenas e históricas. A gente vai descobrindo tudo durante a caminhada, é uma delícia.

Detalhes do casario histórico
Uma das ruas mais famosas, a Rua do Lazer: é lá que rola o “burburinho” a noite
Conhecer as Igrejas históricas

A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário é a primeira e maior construção religiosa do Estado de Goiás. Teve as suas obras iniciadas entre 1728 e 1732 e até 1758 foi sofrendo novas intervenções. De estilo barroco, sofreu um incêndio em 2003 e tudo foi perdido – hoje está reconstruída.

A igreja está aberta à visitação aos sábados, domingos, segundas-feiras, quintas-feiras e sextas-feiras, das 07:00 às 17:00h. Terça e quarta é fechado. Cobra-se, a título de manutenção, uma taxa de R$2,00. Para nosso azar estivemos lá justamente numa quarta-feira e não entramos.

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário

As Igrejas de Nossa Senhora do Carmo e a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim são da mesma época: ambas foram iniciadas em 1750 e concluídas em 1754. Não encontramos nenhuma delas abertas também

Igreja de Nosso Senhor do Bonfim
Igreja de Nossa Senhora do Carmo
Visitar os museus da cidade

Além do belo e preservado casario e das igrejas, os visitantes podem também apreciar belos museus! Nós visitamos o Museu das Cavalhadas e o Museu do Divino e contamos da visita neste post.

O Museu Rodas do Tempo também é outra opção, mas não foi uma prioridade pra gente e ficou de fora em nosso roteiro.

Mascarado na entrada do Museu do Divino. Para saber mais sobre leia o post sobre o Museu AQUI
Se refrescar em uma das várias cachoeiras

Pirenópolis é uma cidade habitualmente bem quente e justamente por isto as cachoeiras da região são bastante procuradas. A parte boa é que pelo fato da cidade ser muito turística e já muito bem estruturada neste sentido, a maior parte das cachoeiras oferecem estrutura de primeira. Por outro lado, os preços são mais salgados.

Decidimos conhecer a Cachoeira do Abade e contamos AQUI nossa experiência.

Veja outras opções no site de turismo de Pirenópolis.

Conhecer o Parque Estadual da Serra dos Pirineus

O Parque não tem manejo para visitação ou cobrança de taxa de entrada. Contudo é possível fazer a trilha para o topo do Pico dos Pirineus sem guia, é bem demarcado! Contamos aqui mais detalhes sobre o parque e a trilha.

Fim de tarde no topo do Pico dos Pirineus
Comer!

Os principais bares e restaurantes estão na famosa Rua do Lazer e na Rua Aurora. A noite a Rua do Lazer costuma atrair a maior parte dos turistas em busca de um local para jantar ou bebericar. Lá é bem agradável, mas esteja preparado: os preços são mais puxados!

Rua do Lazer

Nós fizemos nossa viagem à Pirenópolis dentro um um roteiro mais longo de carro, percorrendo outras cidades de Goiás, então não podíamos noa dar ao luxo de gastar tanto e buscamos opções de alimentação mais em conta na cidade. Veja aqui nosso post sobre onde comer barato em Pirenópolis

Piri…

Bem, já deu pra notar que Pirenópolis é uma cidade bem completa né? Tem opções de atividades para todos os públicos. A cidade é muito bem estruturada, são muitas as opções de hospedagens, desde hotéis e pousadas sofisticadas, às mais simples. Tem também muita opção de Airbnb e até camping.

Um detalhe: visitamos Pirenópolis dentro do Roteiro Cerradão Goiano, quando visitamos várias outras cidades de Goiás e não pudemos deixar de notar que lá os preços são habitualmente mais altos, acreditamos que muito em parte pela fama da cidade e grande procura turística.

Eu gostei muito de conhecer Pirenópolis, a cidade é uma gracinha e tem muita coisa pra fazer por lá. E se sua viagem for mais econômica, como são as nossas, dá pra passar bem por lá com um pouco mais de pesquisa. Ficamos num Airbnb com ótimo custo benefício e também comemos em lugares bem em conta.

Faça sua primeira reserva pelo Airbnb com nosso link e ganhe R$ 130,00 em créditos em sua primeira viagem. Você não paga nada a mais por isto e nos ajuda a manter o blog no ar. Clique AQUI.

Compartilhe:

Vanessa Barreto

Psicóloga por profissão, viajante por paixão. Acredito na força dos encontros, na potência das palavras e na beleza das pequenas coisas. Viajar é um modo de existir e de se reinventar e por quê não dizer terapêutico também?

14 Resultados

  1. Que charme de lugar, Vanessa. Acredita que não conheço Piri? Também sempre achei a cidade um charme e morro de vontade de ir lá passar um fim de semana. Pode puxar minha orelha para resolver essa pendência!

  2. Rafaela disse:

    Nossa! Amei seu relato! Também estou doida pra conhecer Pirinopolis! Vai ajudar muito na construção do meu roteiro para lá! Obrigada!

  3. Maiara Barbosa disse:

    As fotos de vocês ficaram ótimas! Os boizinhos mascarados pra mim são os melhores! Sem contar na tranquilidade que é esse centro histórico! E o povo tomando banho no rio então? Ah que inveja! Rs
    Preciso voltar pra conhecer as cachoeiras!!

  4. Hebe disse:

    Que graça essa cidade. Adorei as dicas

  5. Larissa disse:

    Mas que cidade mais bonitinha!!! Amei seu relato e vi que tenho que incluir mesmo Piri na minha lista de destinos no Brasil!!

  6. Débora disse:

    Nossa achei uma gracinha essa cidade… não imaginava que era assim! adorei as dicas!

  7. MICHELE disse:

    Pirenópolis que cidade charmosa! Adoro passear por cidade assim, amei a dica e o texto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *