Parque Estadual do Ibitipoca: o que fazer e dicas importantes

Localizado na Zona da Mata mineira, com área abrangendo limites dos municípios de Lima Duarte e Santa Rita do Ibitipoca, o Parque Estadual do Ibitipoca é sem dúvidas o grande motivo que leva turistas de várias partes do país à pequena vila de Ibitipoca. Contamos mais sobre a vila e o que fazer por lá neste post.

Criado em 1973 o Parque conserva quase 1500 hectares de Mata Atlântica e tem grande importância para preservação da fauna e flora nativa. Além de receber visitantes interessados nas belas trilhas, paisagens e cachoeiras, é também espaço de trabalho para pesquisadores de diversas instituições universitárias da região.

Estrutura

O Parque é administrado pelo IEF – Instituto Estadual de Florestas de Minas Gerais e tem excelente estrutura. Possui estacionamento, banheiros, centro de visitantes, lanchonete, restaurante, camping e todas as trilhas são bem demarcadas e sinalizadas. (Algumas placas estão carecendo de renovar a pintura, mas nada que atrapalhe na localização).

No Centro de Visitantes é possível conseguir um mapinha dos atrativos e obter mais informações sobre o Parque: não deixe de passar por lá logo na chegada

Alguns valores da lanchonete (em junho/2019)

Como chegar

O site Ibitipoca Tur dá as rotas partindo do Rio de Janeiro e Juiz de Fora, mas não tem muito mistério. De carro ou ônibus o esquema é chegar à Lima Duarte e de lá subir a Serra para Ibitipoca. Para quem vai de ônibus de Lima Duarte à Conceição do Ibitipoca verifique valores atualziados e horários na Viação VIMARA – (32) 3281 1390.

Uma vez na Vila é bem fácil chegar ao Parque, placas indicarão o caminho e qualquer pessoa a quem você perguntar também poderá ajudar. A vila é bem pequena.

Do centrinho da vila ao Parque são aproximadamente 3 kms, que podem ser percorridos de carro, a pé, ou em transfers contratados na vila.

Valores

Em dias úteis a entrada por pessoa custa R$ 20,00 e em finais de semana e feriados, R$25,00. O estacionamento também é cobrado ao custo de R$ 25,00 o carro de passeio. Crianças até 05 anos são isentas e idosos (acima de 60 anos) e estudantes pagam meia.

Muitos visitantes param o carro na estrada de acesso e seguem a pé para economizar no estacionamento, mas fique atento: há uma boa área próxima à guarita onde estacionar é proibido, então tem que deixar o carro um pouco mais distante e caminhar um cadim.

Entrada do Parque

Veja AQUI valores para outros tipos de veículos.

Opções de trilhas

São 03 os circuitos que o visitante poderá fazer:

Janela do Céu

O primeiro e mais famoso é a trilha que leva à cachoeira Janela do Céu, grande cartão postal do Parque. São 16kms no total de uma trilha com muita variação de altimetria. A trilha termina na parte alta da cachoeira, que cai num enorme paredão, emoldurado por árvores, daí o nome: parece mesmo que estamos vendo as montanhas por uma janela natural.

Não tem poço para banho, é raso mesmo, a grande beleza aqui é a vista que a janela proporciona, além de vários outros pontos no caminho, como cachoeiras e grutas.

Foto: Dimas Stephan/G1 (Retirada desta matéria do Portal G1)

É tão, mas tão, mas tão procurada, que em feriados costuma dar fila para foto. Não acredita em mim? Olha AQUI.

Detalhe importante: já foram relatados acidentes, inclusive com mortes, de turistas que se arriscam demais para fazer foto na beirada da cachoeira, em 2016 uma moça teve a sorte de sobreviver à queda. Não se arrisque!

Apesar da fama, esta era a trilha que eu menos tinha interesse e acabamos não fazendo, mas o Blog Cores do Mundo conta como foi esta experiência.

Circuito Pico do Pião

A  trilha do Pico do Pião tem 10km (ida e volta). No caminho passamos por algumas grutas até atingir às ruínas de uma antiga capelinha, no topo do pico, a 1720 m de altitude. O Pico do Pião é o 2º ponto mais alto do Parque e a vista é sensacional.

A primeira parada foi na Gruta do Monjolinho, uma gruta pequena com um poço raso diante de sua abertura. Há quem entre pela fenda (que vai ficando bem estreita), mas nós não o fizemos.

Gruta do Monjolinho

Depois paramos na Gruta do Pião, que fica num bosque muito bonito. Ela é maior, com mais “salões” e a gente consegue percorrer todos sem muita dificuldade: nada é tão estreito. Só que lanterna aqui é essencial.

Um pouco antes de pegar a subida final para o Pico, uma bifurcação indica a Gruta dos Viajantes. Nós optamos por vê-la na descida do pico. Esta gruta a gente consegue atravessar toda e sair por um local diferente de onde entramos, eu a achei muito bonita!

Saindo pela outra abertura

Uma escada feita com toras de madeira auxilia a última subida até o Pico do Pião. Reza a lenda que a capelinha foi destruída há muitos anos por raios, o que é bastante comum na região. O nome “Ibitipoca” faz referência à “Serra que Estala”, justamente por causa do número elevado de raios que caem na região, olha que coisa!

No topo do Pico do Pião

Embora tenha muita subida eu achei o circuito tranquilo, especialmente porque fomos parando nas cavernas. Tiramos um dia inteiro para este circuito, então fomos beeem de boas.

Que trilha mais linda!

Ah, não se esqueça de levar uma boa lanterna para poder ver as cavernas por dentro!

Pico do Pião, o 2º ponto mais alto do Parque Estadual do Ibitipoca – 1720m

Circuito das Águas

Circuito circular, com 5 kms de extensão, de nível fácil. Leva a várias piscinas naturais e cachoeiras. Eu particularmente achei tudo muito lindo!

A trilha, em sua parte alta, vai margeando um paredão, de onde temos vários mirantes como este onde eu estava. Na parte baixa, muitas piscinas naturais

É ideal para o último dia, por ser o mais tranquilo e ideal para banho e descanso. É também, sem dúvidas, a melhor escolha para quem quer só banho e contato com a natureza sem muito perrengue.

DICA: não deixe de entrar nas jacuzzis naturais do início do circuito, na prainha. São uma delícia!

Realizando um sonho de criança: uma jacuzzi para chamar de minha
Como a natureza é perfeita

Quantos dias?

Há quem faça tudo em 02 dias, mas exige muita disposição. Para fazer tudo com calma o ideal é 03 dias, um para cada um dos circuitos.

O recomendado é começar pela Janela do Céu, o mais pesado, e terminar pelo Circuito das Águas, o mais leve. Nós gostamos de fazer as coisas com calma e ter tempo para contemplação, não achamos que natureza combina com correria. Mas isto é a nossa “vibe”, muita gente junta dois circuitos num único dia por ser a única opção possível.

Neste caso, talvez o mais indicado seja um dia para Janela do Céu e outro para o Pico do Pião + Circuito das Águas.

No meio da pedra, uma enorme abertura, conhecida como “ponte de pedra”

Avisos Importantes

No site IbitipocaTur diz que há limite diário de 1000 visitantes, mas quando lá estivemos (junho 2019) este limite tinha sido reduzido para 800. Um funcionário comentou conosco que em feriados e finais de semana em pouco mais de 1 hora após a abertura da portaria o limite é atingido, então nestas épocas tem que chegar cedo mesmo, sob risco de não conseguir entrar.

Não deixe de passar pelo Centro de Visitantes, lá você consegue mapinha com orientações sobre todas as trilhas.

Leve água, repelente, protetor solar, lanche de trilha e chapéu. Calçados adequados são importantes, tem muitas pedras nas trilhas. E claro, uma sacolinha para levar seu lixo de volta.

Para mais informações sobre o Parque e sobre o camping (32) 3281 1101

Não deixe de ver nosso post com outras dicas do que fazer na Vila de Conceição do Ibitipoca.

Parque Estadual do Ibitipoca

Conceição de Ibitipoca, s/n – Zona Rural, Lima Duarte

Horário: 07 as 18 hs, fechado às segundas-feiras.

Telefone:  (32) 3281-1101

Salve no Pinterest e consulte sempre que quiser

Compartilhe:

Vanessa Barreto

Psicóloga por profissão, viajante por paixão. Acredito na força dos encontros, na potência das palavras e na beleza das pequenas coisas. Viajar é um modo de existir e de se reinventar e por quê não dizer terapêutico também?

Você pode gostar...

13 Resultados

  1. Rafaela Mourão disse:

    Eu amei demais conhecer o Parque!!! Fomos em 3 dias também!! Quero muito voltar porque pegamos o tempo bem fechado e as águas estavam muito frias… Quero voltar com sol e calor!!

  2. Carol disse:

    Por ser muito pertinho de Juiz de Fora, o Parque de Ibitipoca é uma bela opção de lazer para quem ama trilhar e se conectar com a natureza. Seu post está completo. Me deu vontade de voltar pra fazer a Janela do Céu.

  3. Luiza disse:

    Quanta foto linda! Quando minha filhota for maiorzinha, com certeza vou querer ir conhecer!

  4. Joabe Tavares disse:

    Eu passei por tantas fotos que foi a minha preferida do post que é até injusto escolher uma só. Que lugar lindo de belezas naturais e cheio de atividades. O relógio de sol é um charme, a janela tem uma senhora vista. Fiquei babando nessas jacuzzis naturais e na gruta. Adorei as dicas! Muito mesmo!

  5. Paola disse:

    To chocada! Quanta coisa tem ora fazer no parque! Tem de tudo um pouco! Muito legal!

  6. Bianca Bastos disse:

    Meu sonho é ir pra Ibitipoca, mas sempre ficava pensando se estaria cheio demais… depois das suas dicas, tô pensando em botar o destino de novo na lista!

    • Vanessa Barreto disse:

      Oi Bianca!
      Com o Parque é muito procurado, vale a pena tentar, se possível, programar sua viagem para a baixa temporada, faz toda a diferença. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *