Roteiro de 04 dias em Brasília

Descrição do roteiro exatamente como fizemos: ao final contamos do que mudaríamos se pudéssemos fazê-lo novamente.

Dia 01- Eixo Monumental parte 1 (a pé)

Empolgados que somos, resolvemos fazer o Eixo Monumental a pé. Seguimos de ônibus até a Praça dos Três poderes. Mesmo cedo o sol já estava escaldante.

Visitamos primeiro o Panteão da Pátria e Liberdade Tancredo Neves, um memorial para homenagear brasileiros que foram importantes para o país. O prédio é mais um dos projetos de Oscar Niemeyer.

Os nomes dos homenageados constam no “Livro de Aço”, também chamado “Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria”, o qual lhes confere o status de “herói nacional”. Nomes como Tiradentes, Zumbi dos Palmares e Leonel Brizola, dentre muitos outros, estão lá.

Voltamos para a praça onde vimos o Palácio do Planalto e o prédio do Supremo Tribunal Federal, um de cada lado da praça.

Palácio do Planalto
STF, Supremo Tribunal Federal

Ainda na praça visitamos o Espaço Lúcio Costa, situado sob o piso da praça, que mostra uma maquete de Brasília, com 179 metros quadrados.

Obra de arte que homenageia os “candangos”, como eram chamados os operários que construíram Brasília

Seguimos pelo Eixo Monumental, passamos em frente ao Palácio da Justiça e chegamos ao Congresso Nacional.

De lá passamos pela Esplanada dos Ministérios e chegamos à Catedral de Brasília. Seguindo o estilo modernista, a construção possui dezesseis colunas de concreto que convergem num círculo central.  Foi graças a este projeto que Niemeyer recebeu o prêmio máximo da arquitetura (o Prêmio Pritzker, em 1988).


Os vitrais em tons azuis e a liberdade de formas são a marca registrada desta que é sem dúvidas uma das catedrais mais bonitas do país.  Estava tendo missa na hora e só pudemos vê-la de uma espécie de “curralzinho”, na entrada, mas deu pra ver como é linda!

Seguimos para o Museu Nacional de Brasília. Uma das exposições era de Caio Fernando Abreu, escritor de quem gostamos muito!

Museu Nacional de Brasília: espaço dedicado à receber obras itinerantes

Seguimos até o Shopping Conjunto Nacional, e lá paramos para almoçar. Ô arrependimento. Comemos num restaurante qualquer na praça de alimentação, pagamos caro e foi uma droga.

Foto ruim, feita com celular: diferente das demais áreas do Eixo Monumental até então, que nos pareceram bem seguras, a região do Shopping é mais cheia. Já haviam nos alertado para ter mais cuidado por ali, então não fotografamos com a câmera

Após o almoço seguimos, ainda a pé, até a feira da Torre de TV. Tinham poucas barracas abertas, mas a área de alimentação estava funcionando e lá tivemos a triste notícia de que a torre estava fechada para obras. De lá se tem uma das vistas mais bonitas do Eixo Monumental 🙁

A famosa Torre de TV, onde tem um mirante que dá pra ver boa parte do Eixo Monumental

Saímos do Eixo Monumental e fomos até o Santuário Dom Bosco que fica na Asa Sul. Andamos umas 03 quadras até lá. O Santuário ocupa uma boa parte da Quadra 702 Sul, em posição bastante central no plano piloto em formato quadrado, com 40 metros de largura. Em cada lado existem 20 colunas de 16 metros de altura cada, totalizando 80 colunas.

As aberturas lembram arcos góticos.  Os vitrais tem 12 diferentes tonalidades de azul em degradê que representam a beleza do céu de Brasília. É simplesmente incrível!

Em sua visita à Brasília não deixe de passar no Santuário Dom Bosco: é aquele local perfeito para uma pausa, descanso, reflexão e contemplação e ainda rende lindas fotos!

Já mortos e exaustos, chamamos um Uber e encerramos nosso primeiro dia.

Dia 02 – Eixo Monumental Parte 2 (de carro)

Retornamos ao Eixo Monumental para ver o que não tínhamos visto no dia anterior e para fazer duas visitas guiadas, que agendamos previamente.

Começamos pela Visita Guiada ao Supremo Tribunal Federal, contamos dela neste post.

De lá paramos para almoço no Restaurante do Anexo da Câmara dos Deputados, uma dica de nosso anfitrião. No último andar do prédio tem um restaurante aberto ao público de onde temos uma vista bem legal, vale a pena!

Lá no ato a gente tem duas opções: uma lanchonete e um restaurante. O restaurante, mais glamour, serve refeições em buffet livre a R$ 59,90 por pessoa. Na lanchonete, além de lanches variados, tem a opção de pratos executivos por R$ 24,90, que foi o que pedimos. Tava tudo meio mais ou menos, mas que se importa né, a gente foi pela vista mesmo! 🙂

Seguimos para a Visita Guiada ao Itamaraty, que contamos aqui.

Após a visita seguimos para o Memorial JK e Memorial dos Povos Indígenas. Encerramos o dia na Praça dos Cristais para ver o pôr do sol, você pode ver mais detalhes sobre NESTE post.

Dia 03 – Congresso Nacional, CCBB e Lago Sul

Retornamos mais uma vez ao Eixo Monumental, mas desta vez só para fazer a Visita Guiada ao Congresso Nacional, que contamos neste post.

De lá seguimos para o restaurante Mangai, onde almoçamos com nossos anfitriões. É um restaurante de comida nordestina que eu, Vanessa, amo de paixão e só tem em Brasília, João Pessoa e Natal.

Após o almoço nossos anfitriões nos levaram para conhecer o Centro Cultural Banco do Brasil e o Pontão Lago Sul.

O CCBB é uma espaço cultural do Banco do Brasil com galerias de exposição, cinema, café e lojinha. Tem uma ampla área verde ideal para crianças e para aquele descanso.

O Pontão Lago Sul é um empreendimento que faz parte de um projeto de revitalização da Orla e foi construído em 2002 com o objetivo de fomentar o turismo e desenvolvimento econômico na região. Conta com quiosques, bares e restaurantes, além de área para caminhada, parques para crianças e prática de esportes náuticos. Um lugar bem gostoso para um petisco de fim de tarde ou só pra ficar de boas curtindo o visual mesmo.

Da orla do Pontão Lago Sul a gente vê a Ponte JK, que liga o Lago Sul, Paranoá e São Sebastião à parte central de Brasília

Dia 04 – Asa Sul: Igreja Nossa Senhora de Fátima e Super Quadra Modelo

O apartamento de nossos anfitriões ficava na Asa Norte, então acabamos circulando mais por lá em nossa estada em Brasília. Já que nossa saída da cidade seria pela Asa Sul, deixamos para o último dia dois atrativos que queríamos conhecer nesta região e aproveitamos para vê-los já no caminho de saída da cidade.

O primeiro deles era a Igreja Nossa Senhora de Fátima. Ela é também conhecida como “Igreja da 307/308 sul” e é a primeira igreja em alvenaria de Brasília. O projeto é de Niemeyer e foi encomendado a pedido de Sarah Kubitschek, como pagamento de uma promessa.

As super quadras modelo correspondem a um projeto do urbanista Lucio Costa como elemento básico do plano piloto. Trata-se de um conjunto de quatro quadras residenciais com edifícios de seis pavimentos, cercadas por faixas arborizadas de 20 metros de largura e intercaladas por ruas comerciais. Os blocos residenciais foram projetados por uma equipe do qual Niemeyer fez parte e o paisagismo é de Burle Marx. A unidade contém ainda igreja (a Nossa Senhora de Fátima), escola, clube de vizinhança, posto de saúde, jardim de infância, biblioteca e cinema e foi tombada como patrimônio do Distrito Federal em 2009.

É bem interessante ver a quadra de perto, no caso, vimos a 308. De fato os prédios são mais afastados um dos outros, é bem arborizado e tem muitas áreas de lazer. É o que podemos chamar de a “quadra perfeita”. Em nossas andanças por Brasília vimos várias outras e apesar de existir uma certa lógica na disposição das quadras, cada uma tem a sua cara e personalidade, diferindo da ideia do projeto modelo.

O que faríamos diferente neste roteiro?

De um modo geral aprovamos o roteiro que fizemos. O Eixo Monumental precisa mesmo ser dividido em pelo menos 02 dias, senão fica exaustivo. Gostamos muito de todas as visitas guiadas que fizemos e recomendamos. Brasília é incrível e sem dúvida, vale a viagem. Porém mudaríamos duas coisinhas no que programamos e fizemos:

1- No primeiro dia não teríamos almoçado no Shopping Conjunto Nacional. Por estar no “meio” do Eixo Monumental, achamos que seria um bom local para parada de almoço, mas não foi. Comemos mal, num shopping LOTADO e pagamos caro. Teria sido melhor pesquisar alguma opção legal nos arredores e ir de Uber.

2- Não teríamos feito o dia 1 a pé. Calculamos que seria difícil estacionar perto do Eixo Monumental e nos enganamos redondamente. Claro que coladinho nos prédios principais é difícil, mas nas ruas do entorno é super tranquilo de parar, Brasília é uma cidade projetada para carros e em todo canto que a gente vai tem lugar pra estacionar, gratuitamente. Tanto que no segundo dia voltamos de carro e foi um sucesso.

Achamos também que de carro teríamos dificuldade de ir parando nos lugares que gostaríamos de visitar e isso não é verdade. Dá pra parar com tranquilidade, em frente à Catedral, por exemplo, tem estacionamento e assim vai. Dá pra parar o carro, andar um cado, voltar, pegar o carro e seguir neste esquema. O calor e o sol intenso dificultam bastante o trajeto a pé.

Teríamos mantido todo o restante do jeito que foi!

Compartilhe:

Vanessa Barreto

Psicóloga por profissão, viajante por paixão. Acredito na força dos encontros, na potência das palavras e na beleza das pequenas coisas. Viajar é um modo de existir e de se reinventar e por quê não dizer terapêutico também?

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Daniela disse:

    Adorei esse post, estou indo pra lá mês que vem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *