Roteiro de 7 dias na Chapada dos Veadeiros

Não faltam opções de atrativos naturais para conhecer na Chapada dos Veadeiros. São tantas as possibilidades de trilhas e cachoeiras que muito provavelmente qualquer roteiro com menos de 15/20 dias não será capaz de contemplar todos.

Além disto chegando lá descobrimos mais um tanto de atrativos menos famosos e locais, destes que a gente não acha na internet, que fica mesmo impossível pensar em conhecer tudo com pouco tempo.

Nós elaboramos nosso roteiro para 7 dias, o período que tínhamos disponível. Consideramos um tempo adequado para conhecer alguns dos atrativos mais importantes, mas gostaríamos de ter podido ficar um pouco mais, algo tipo 10 dias, pelo menos. Deixamos para trás alguns atrativos pela falta de tempo (e energia também). O calor da Chapada impõe um ritmo intenso e sentimos que lá não rendemos tanto quanto já rendemos em outros locais de clima mais ameno.

Dia 1: Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros:

Chegamos na Chapada num sábado a noite. Fizemos compras (já que alugamos uma casinha pelo Airbnb), nos instalamos e fizemos janta. Nosso dia 1 de passeios foi o domingo, quando decidimos começar pelo Parque Nacional.

O Parque tem 4 opções de trilha e é impossível fazer todas num único dia, inclusive há trilha que exige pernoite em acampamento dentro do parque. Para fazer todas as trilhas é necessário de 3 a 4 dias, dependendo da disposição física e do tempo gasto em cada atrativo.

Nós escolhemos fazer a Trilha dos Cânions. Leia sobre ela AQUI.

Dia 2: Cataratas dos Couros

No segundo dia decidimos conhecer as Cataratas dos Couros. Leia mais AQUI.

Dia 3: Vale da Lua e Passeio em São Jorge e Alto Paraíso

Como a trilha que fizemos no Parque foi bem pesada e as Cataratas dos Couros tomaram todo o nosso dia, achamos por bem dar uma “quebrada” no terceiro dia com uma atividade natural de meio período. Sendo assim visitamos pela manhã o Vale da Lua e tiramos a tarde para conhecer a Vila de São Jorge e Alto Paraíso de Goiás.

Foi a primeira vez que fomos até a avenida turística de Alto Paraíso, estávamos num Airbnb em bairro periférico e só saímos para os passeios. Almoçamos num self service simples em Alto Paraíso e andamos pelas lojinhas, mas por ser uma terça -feira e cedo a maioria estava fechada.

Dia 4: Santa Bárbara

Em nosso quarto dia na Chapada seguimos para o município de Cavalcante e conhecemos a majestosa cachoeira de Santa Bárbara, contamos AQUI sobre ela.

Dia 5: Macaquinhos

Outro passeio que levou todo o dia. Falamos dele AQUI.

Dia 6: Jardim de Maytrea e Gastronomia local

Já estávamos bem cansados em nosso sexto dia. Então decidimos tirar nosso último dia inteiro na Chapada para descansar e conhecer mais da gastronomia local. Para economizar e também facilitar os passeios tomávamos café e jantávamos em casa e almoçávamos lanche de trilha, isto nos dava mais tempo para ficar nos atrativos, sem ter que se preocupar em procurar local para comer e tals.

Neste último dia acordamos mais tarde e fomos almoçar no Rancho do Waldomiro, seguindo a recomendação do Guia 4 rodas. Simplesmente sensacional!

Prato principal do Rancho: Matula Goiana

Depois do almoço paramos para ver com mais calma e fotografar um dos pontos mais representativos da Chapada, o Jardim de Maytrea, que fica justamente na estrada que liga São Jorge a Alto Paraíso, caminho para o restaurante. Já havíamos o visto quando fomos ao Parque Nacional, mas com mais calma e tempo pudemos curtir mais o local.

Paisagem deslumbrante do Jardim de Maytrea

Voltamos para o nosso Airbnb, demos uma descansada, arrumamos as malas e a noite saímos para dar uma volta na área turística de Alto Paraíso e para jantar. Escolhemos o Zuh’s Bistrô e adoramos.

AQUI contamos de nossas experiências gastronômicas na Chapada

Dia 7: Feira dos produtores

Já estávamos de partida da Chapada, num sábado. Deixamos o Airbnb e seguimos para a feira, com o intuito de tomar café da manhã por lá. Contamos AQUI sobre este passeio.

Claro que faltou bastante coisa. Trilha do Mirante da Janela, Cachoeira do Abismo, Cachoeira do Segredo, Almécegas, Loquinhas, as demais trilhas do Parque Nacional… faltou um tanto de atrativos que gostaríamos de ter visitado. Mas é assim, a Chapada dos Veadeiros tem tantas opções que com poucos dias não dá pra nem os pontos principais.

Não nos arrependemos de ter visitado nenhum dos atrativos que escolhemos, mas claro que temos os nossos preferidos:

Vanessa: “Acho impraticável conhecer a Chapada e não ver Santa Bárbara, Catarata dos Couros e Vale da Lua. E comer a matula do Rancho do Waldomiro.” (Sim, sou esfomeada e penso na comida kkkkkk)

Leonardo: “Parque Nacional – é a alma da Chapada, imperdível; Catarata dos Couros – a coisa mais “imponente” e Santa Bárbara – a coisa mais bonita.”

O roteiro dependerá acima de tudo, do gosto pessoal de cada um, das distâncias, do transporte, da grana ( a maioria dos atrativos tem taxa de visitação entre R$20 e R$30), do tempo disponível, do preparo físico… só podemos afirmar que a Chapada rende muitos e muitos roteiros!

Deixaremos aqui as dicas finais para quem quer conhecer a Chapada:

– Melhor época para visitar: na estação seca, que vai de Maio à Setembro. Nestas datas o risco de tromba d’água é menor e as águas estão mais limpas e cristalinas. Quanto mais se aproxima de setembro, menor vai ficando o volume de água.

– Onde se hospedar: Preferencialmente em Alto Paraíso de Goiás ou na Vila de São Jorge. Temos um post no blog só falando da melhor opção.

É caro? Sim, é. A maioria das cachoeiras estão em propriedade privada e tem custo entre R$ 20 a R$ 50 por pessoa. De graça só o Parque Nacional e as Cataratas dos Couros. Contudo dá pra economizar bem em hospedagem, tem muito hostel, camping e airbnb e também em comida, hospedando-se num local com cozinha e preparando tudo em casa mesmo, que foi o que nós fizemos.

Alto Paraíso é a maior cidade nas proximidades e a estrutura lá não é a de uma cidade grande: possui uma agência bancária (Itaú) e Casa Lotérica ( que fazem saques para Banco do Brasil e Caixa Econômica) e é possível fazer saques do Bradesco em algumas farmácias. Nós preferimos levar uma quantia maior em dinheiro, quase todas as cachoeiras só aceitam pagamento em espécie. Os restaurantes, por sua vez, aceitam cartão, em sua maioria.

– As cachoeiras são distantes e carro é bem importante. Para quem vai sem carro tem ônibus com um horário diário ligando Alto Paraíso a São Jorge. Muita gente vai de bike ou pede carona nas estradas. É possível também contratar passeios e transfers com agências locais em Alto Paraíso. 

– Estivemos na Chapada em setembro/2018 e o calor é bem forte. O sol do cerrado judia, então é importante levar roupas que te protejam do sol, especialmente para trilhas. Protetor solar e repelente também são necessários. A maioria das trilhas tem terreno pedregoso, então evite chinelo, a chance dele arrebentar e te deixar na mão é grande! Prefira calçados de trilha com solado antiderrapante.

Aline e Caio do Blog Checkins pelo mundo fizeram um guia bem completo com muitas dicas para quem quer conhecer a Chapada, veja aqui neste post.

Ana Ligia do Blog De Mochila no Mundo também tem um guia completo sobre a Chapada, clica aqui pra ver.

Compartilhe:

oqueijovainamala

Um casal mineiro que ama viajar e conhecer novos lugares, mas acima de tudo busca experiências e novas histórias para ouvir e contar.

Você pode gostar...

18 Resultados

  1. Nati disse:

    Que demais esse roterinho! ADOREI. Era o que eu precisava. Já faz um tempo que to pensando em fazer essa trip e não sabia nem por onde começar. Muito obrigada pelas dicas valiosas <3

  2. Juliana disse:

    Também acho que não rola conhecer a Chapada e não ir à Cachoeira Santa Bárbara né. Nossa, 07 dias e ainda faltou coisas, realmente tem muito a explorar por lá hein?

  3. Paula Gabi disse:

    Oi Vanessa
    Mais um post maravilhoso! Adoro as dicas que vocês dão no quesito praticidade/ economia!
    Vocês foram de carro? Qual seria o aeroporto mais próximo?
    um beijo e um queijo

    • Vanessa Barreto disse:

      Oi Paula! Nós fomos de carro partindo de Belo Horizonte, para quem vai de avião o melhor esquema é ir para Brasília e alugar carro lá. Qualquer dúvida a mais que pudermos ajudar é só falar. 😉

  4. Camila disse:

    Muito obrigada pelo relato! Estou planejando ir esse ano e vai me ajudar muito!

  5. Maiara Barbosa disse:

    Chapada dos Veadeiros é um lugar incrível, mágico e acho que vocês também puderam sentir isso. Lembro das nossas conversas nos preparativos da viagem e vejo que vcs fizeram muitas coisas legais que eu não consegui conhecer. Preciso voltar! kkk

  6. Débora disse:

    Quero taaaaaaanto conhecer a Chapada… adorei as dicas de vcs e ja salvei aqui nos favoritos! Obrigadaaa!

  7. Amanda disse:

    UAU!!! A única coisa que consegui prestar atenção enquanto lia seu texto foram as fotos, todas maravilhosas! Parabéns pelo texto e pelas fotos, só fizeram aumentar a minha vontade de conhecer esse lugar maravilhoso!

  8. Michele disse:

    Que post maravilhosooo. Quem já quer conhecer esse destino lindo, eu! A cor dessa água, perfeito! Obrigadaa por compartilhar

  9. Jessica Lopes disse:

    Excelente post! Tem que aproveitar tudo! Cachoeira então é a minha paixão! Cada foto linda! Excelente texto Vanessa! Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *