A visita guiada ao Congresso Nacional, em Brasília

Como agendar?

É possível visitar o Palácio do Congresso Nacional as segundas, quintas, sextas, finais de semana e feriados, com entrada gratuita, das 9h às 17h30, com saídas de grupos a cada 30 minutos, a partir do Salão Negro. Em todos os dias basta chegar na recepção, fornecer nome e documento. Somente em dia de quinta-feira o agendamento é obrigatório

É obrigatório agendamento também para: grupos com mais de 15 pessoas (exceto fins de semana e feriados); grupos que precisam de tour em inglês, espanhol, francês ou libras e grupos com necessidades especiais, tais como pessoas com dificuldades de locomoção. Somos também informados que, até no último minuto, a visita pode ser cancelada por motivos de segurança. Para agendar acesse o site do Congresso Nacional.

Como foi a visita

Nós fizemos o tour guiado num sábado que antecedia o segundo turno das eleições presidenciais de 2018. A Esplanada estava bastante policiada e tiveram rumores de que se houvesse qualquer tipo de manifestação nos arredores não haveria visita, mas ficou tudo tranquilo e a visita foi mantida, para nossa sorte.

Estava bem cheio e entramos num grupo de aproximadamente 50 pessoas. Para quem tem a chance de ir em dia de semana é melhor, acredito que seja mais vazio, mas como foi o dia que nos restou lá fomos nós. Em dia de semana, como os parlamentares estão trabalhando, a visita não dá acesso aos plenários, mas por outro lado pode-se ver o funcionamento da casa em sua efervescência – então esta questão do melhor dia a fazer a visita varia muito de acordo com as prioridades de cada um.

Salão Negro, o primeiro, onde ficam as recepções da Câmara dos Deputados, à direita, e do Senado Federal, à esquerda

Passamos pelo detector de metais e por uma espécie de recepção onde damos nossos nomes e documentos. Enquanto aguardamos no Salão Negro, ganhamos um cartão postal que pudemos enviar gratuitamente para qualquer lugar do Brasil. (Enviamos aos nossos anfitriões na própria cidade e aos pais do Leonardo, em BH. Ambos chegaram direitinho).

Uma guia chamou o grupo e fomos todos levados para uma sala após o Salão Nobre, onde assistimos a um vídeo institucional.

Dali fomos para o Salão Verde, aquele famoso que passa na televisão, sempre repleto de jornalistas que aguardam os parlamentares saírem do plenário. Neste momento a guia explica que os salões se diferenciam pela cor de seus carpetes – o do Senado à esquerda, é azul e o da Câmara, à direita, verde, e estas cores representam o nome dos salões.

Área de imprensa, já toda paramentada

O Salão Verde chama atenção pelas obras de arte, jardins e ficam expostos presentes recebidos de outros países pelos presidentes. Dois painéis de Athos Bulcão e um de Di Cavalcanti se destacam na decoração.

De lá fomos para o plenário da Câmara dos Deputados, Ulysses Guimarães. Não pudemos ter acesso à área das cadeiras dos deputados, toda esta parte é protegida por cordões de isolamento. É difícil conseguir uma boa foto, já que as pessoas se aglomeram na parte da frente, fazendo fotos e MUITAS selfies.

Chamou-nos atenção o fato de existir um crucifixo na parede, assim como notamos também na visita que fizemos ao STF. A guia explicou que, apesar do Brasil ser considerado um país laico, entende-se que o cristianismo está na base da cultura nacional e por isto ele foi mantido.

Fomos depois guiados ao outro lado do prédio, no Salão Azul, onde fica o Senado. Parada para fotos na Praça das Bandeiras, onde estão a bandeira do Brasil, do Distrito Federal e dos 26 Estados. Este momento é bem tumultuado também: todo mundo quer tirar foto com a bandeira do seu Estado de origem, uma fuzaca!

Os tapetes marcam a divisão do Salão Verde, onde fica a Câmara dos Deputados para o Salão Azul, do Senado
Consegui esta foto sem ninguém porque fiquei propositalmente no fim do grupo, mais atrás , mas a guia sempre apressava-nos e pedia que nos mantivéssemos juntos

De lá passamos por um corredor chamado Túnel do Tempo, que conta em painéis a história do Senado desde sua criação, em 1824. Tava um forno lá dentro, muita gente optou por voltar e aguardar a guia na Praça das Bandeiras.

Infelizmente não pudemos visitar o plenário do Senado, que estava em reformas de manutenção.

Somos por fim conduzidos à saída que não é pelo mesmo local de entrada: saímos pelo Salão Branco, que fica no subsolo do edifício.

O que achamos da visita?

Bem, é emocionante conhecer o Congresso por várias questões. Além de ser o local onde são decididas as leis brasileiras e o destino do nosso país, não podemos deixar de pensar que estamos dentro de uma das mais incríveis obras de Oscar Niemeyer.

É bem legal ver de pertinho aqueles cenários que a gente tá acostumado desde pequeno a ver pela televisão. Vale muito a pena!

Contudo o fato de entrar um grupo muito grande junto atrapalha bastante a experiência. Na visita ao STF estávamos só nós dois e pudemos aproveitar muito mais. Nesta visita a guia ficava visivelmente incomodada quando parte do grupo ficava para trás para fotografar e entendemos que é preciso que todos se mantenham próximos por questão de segurança. Por outro lado acredito que a maioria das pessoas são turistas e não tem facilidade de voltar, então querem ver tudo com detalhes e registrar, o que é absolutamente compreensível.

Foto que representa como é a visita: sempre muita gente fotografando, não dá tempo para todos fazerem suas fotos com um ambiente mais clean

Acho que seria bem mais legal se o grupo fosse menor ou se existissem mais guias, que pudessem permitir ao grupo se dispersar um pouco mais, sem ter que seguir todo mundo junto o tempo todo.

Enfim, a visita foi linda, recomendo muito mas confesso que fiquei feliz quando ela terminou e pude enfim me isolar um pouco do tumulto.

Realizando sonhos!

Compartilhe:

Vanessa Barreto

Psicóloga por profissão, viajante por paixão. Acredito na força dos encontros, na potência das palavras e na beleza das pequenas coisas. Viajar é um modo de existir e de se reinventar e por quê não dizer terapêutico também?

Você pode gostar...

15 Resultados

  1. Maiara Barbosa disse:

    Nossa, me lembro de ter feito essa visita com uma mochila enooorme nas costas, antes de ir pra Chapada dos Veadeiros rs. E olha que nem agendei: dei a sorte de chegar no Congresso e estar pra sair um grupo…
    Engraçado que, quando a gente vê o Congresso pela TV, imaginava que aquele lugar fosse enorme, mas achei pequeno o Senado e o Congresso rs. Ainda assim, é um passeio que vale muito a pena pra gente conhecer melhor do nosso sistema político

    • Vanessa Barreto disse:

      É isso mesmo Maiara, tudo na TV parece enorme né? Tive esta mesma impressão ao ver o MASP pela primeira vez e ao assistir a um desfile no sambódromo do Rio. Tudo me parecia tão menor! 🙂

  2. Esse passeio é incrível demais. Realmente, em um grupo pequeno a visita guiada fica muito mais interessante. Como moro na cidade, sempre estou visitando esses monumentos. Os passeios do Palácio do Planalto, Palácio da Alvorada e Palácio do Itamaraty também são sensacionais! Amo minha Brasília.

  3. Débora disse:

    Já fui a Brasilia mas nao fiz a visita, na verdade nem sabia que tinha !! na próxima com certeza farei, parece ser muito legal! adorei seu relato e explicação de tudo!

    • Vanessa Barreto disse:

      Oi Débora! Tem esta, ao Itamaraty, ao STF e ao Palácio do Planalto. Fizemos todas menos a do planalto porque a data dela não coincidiu com nossa estada em Brasília. Te sugiro uns 15 dias antes da viagem já agendá-las, todas dá pra agendar online 🙂

  4. Camila disse:

    Uma verdadeira obra prima de Oscar Niemeyer! Que lindo é por dentro! Acho que é um passeio que todos devíamos fazer um dia

  5. Paula Gabi disse:

    Que bacana esse passeio, mesmo para quem não se interessa muito por política é sempre bom ver onde tudo acontece né! Emocionante
    Parabéns pelo post Vanessa!

    • Vanessa Barreto disse:

      É isso mesmo! Ainda que a gente não se interesse, todo mundo ainda que de relance já viu estes cenários pela TV, já faz parte da nossa vida. É muito legal estar lá e ver tudo de pertinho 🙂

  6. Aline disse:

    Que dica boa! Estamos indo para a Chapada no carnaval e quem sabe fazemos essa visita na ida ou na volta 🙂 vlwww

  7. Jessica Lopes disse:

    Eu não sabia que dava para visitar o congresso nacional! Eu ia adorar o túnel do tempo! Muito bom saber que é possível agendar a visita!

  8. Vanessa Barreto disse:

    Dá sim Jessica, muita gente passa pela cidade sem se dar conta desta possibilidade

  9. MICHELE disse:

    Que texto gostoso. Eu já estou doida para ver isso de pertinho! Acredita que ainda não conheço Brasilia! Já querooo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *